DENDE & HAHAHAES

View this page in English

Mestre da Percussão Brasileira Dendê e sua banda Hãhãhães Lançamento do seu CD: Bahia de Todos os Santos

A CD estréia do Dendê combina ritmos tradicionais, Afro-Brasileiros com o batido global de Jazz, Reggae, Funk, Afrobeat e Rumba.

Dendê é um percussionista, cantor, compositor, maestro, professor e multi-instrumentista. Ele tem sido um músico profissional desde os 14 anos de idade, quando ele apareceu na linha de frente da Timbalada. Desde 2001, ele esta dividindo seu tempo entre Nova York e Bahia, e já tocou com Mongo Santamaria, Giovanni Hidalgo, Zakir Hussain, David Bryne, e Vinicius Cantuária. Suas próprias bandas incluem o Ologundê; grupo folclórico, Samba de Três, e o Arrastão do Dendê, um bloco afro. Mas é como líder e compositor principal do Dendê Hãhãhães que ele fez o seu maior impacto.

Hãhãhães, nomeado em homenagem a uma tribo indígena brasileira, esta arrebentando nos clubes e festivais nos Estados Unidos e internacionalmente pelos últimos cinco anos. A banda combina o ritmos pesados Brasileiros com os grooves do afrobeat, reggae, merengue e outras partes do mundo. Bahia de Todos os Santos, seu álbum de estréia, mostra a carisma e versatilidade da banda.

Dendê nasceu e foi criada em Salvador. "Eu cresci num bairro pobre, rodeada de música tradicional. Quando eu era criança eu tocava ritmos na mesa da cozinha da minha mãe e dizia que eu ia ser famoso algum dia. Eu segurava os tambores para os timbaleiros mais velhos  na rodas de samba e depois que eles terminaram de tocar, eles me deixavam tocar e me mostraram os ritmos. "Dendê também absorveu os ritmos que ouviu nas cerimônias de candomblé ja no seu bairro.

Aos 14 anos, Dendê passou pelo teste do Arrastão da Timbalada. Ele começou na última linha e com tempo passou pela linha de frente. Um dia Carlinhos Brown reconheceu o talento do Dendê, ficou impressionado com sua técnica e lhe mandou pela banda show da Timbalada. Durante seus oito anos na banda, Dendê fez turnês internacionais e gravou varios álbuns. Ele também foi dada a oportunidade de tocar e gravar com alguns das estrelas da música brasileira como Carlinhos Brown, Marisa Monte, Caetano Veloso e Gilberto Gil, entre muitas outras.

Quando Timbalada deu uma queda, Dendê foi cortado, e comecou a ensinar. Um de seus alunos mudou sua vida. "Esse cara do Rio chamado Flavio me pediu para lhe dar lições", recorda Dendê. "Nós clicamos e após cinco dias de me conhecer, ele me perguntou se eu pensava em me mudar para Nova York." Poucos meses depois, uma passagem para Nova Iorque chegou la em casa. "Flavio tocou no metrô para ganhar dinheiro suficiente para me comprar o meu bilhete. Quando cheguei a Nova York, eu também tocava no metrô com ele e dormia em seu sofá.

" Tendo estabelecido uma segunda base em Nova York, os grupos do Dendê; Ologundê, Samba de Três, Arrastão e Hãhãhães floresceram. "Nova York me deu oportunidades que eu nunca teria no Brasil." Dividindo seu tempo entre a Bahia e Nova York também influiu a sua música com um sabor internacional inconfundível.

A faixa títular do álbum, "Bahia de Todos os Santos", convoca os orixás, os espíritos sagrados do candomblé, uma religião com raízes Oeste Africano, com um swingue do funk e reggae. "Casa de Ferreiro," uma canção que mistura afrobeat com o ritmo ijexá tradicional, é uma homenagem à resistência dos negros que construíram o Brasil e inclue a particpação especial de Amayo da banda Antibalas nos vocais. Vinicius Cantuária faz a sua particpação especial na guitarra em "Sinaleira", um retrato musical da vida no guetho nas ruas de Salvador.

Bahia de Todos os Santos foi gravado em uma intensa sessão num dia, ao vivo no estúdio com o produtor Manfred Knoop. Zé Luis, que também toca sax e flauta em Hãhãhães contribuiu para a produção adicional. Marcos Vigio produziu os overdubs vocais e contribuiu para a mixagem final e edição para dar as faixas a sua presença. Dendê e Hãhãhães esta levando a sua música para a galeira com um show enérgico que combina um groove implacável, musicalidade de primeira classe, e letras socialmente conscientes que vão agitar o seu espírito, bem como o seu corpo.

Dendê e Hãhãhães:
Dendê: maestro, compositor, vocal, guitarra, percussão
Leslie Malmed: vocal, percussão
Ze Grey: baixo
Adriano Santos: bateria
Zé Luis: sax, flauta
Gustavo Dantas: guitarra
Miho Nobuzane: teclados
Carlos Darci: trombone
Takuya Nakamura: trompete