BIBI FERREIRA

View this page in English

BIBI FERREIRA VOLTA A NOVA YORK
PARA APRSENTAR PELA PRIMEIRA VEZ O SHOW
“BIBI CANTA PIAF”

VISTO POR MAIS DE 5 MILHOES DE PESSOAS NO BRASIL, PORTUGAL E FRANÇA, O SHOW SERA APRESENTADO NO DIA
13 DE NOVEMBRO NOTHE TOWN HALL


Depois do aclamado Bibi in Concert no Lincoln Center, em abril, a atriz brasileira Bibi Ferreira volta a Nova York dia 13 de novembro para apresentar um dos maiores sucessos de sua carreira, BIBI SINGS PIAF, no The Town Hall, acompanhada de orquestra e coral, comemorando 30 anos de sucesso.

Há 30 anos Bibi canta o repertório e conta a estória da vida da legendária cantora francesa Edith Piaf. E também esse ano completam 50 anos da morte de Piaf, e sua arte tem sido celebrada em todo o mundo.

Bibi Ferreira entrou no universo de Edith Piaf sem querer, quando, depois do estrondoso sucesso de Gota d’Água, nos anos 70, estava pesquisando textos para um novo trabalho no teatro, e um amigo lhe apresentou a peça Piaf, da autora inglesa Pam Gems. Num primeiro momento não gostou por achar as músicas tristes, mas aceitou estudar o repertório. De cara percebeu o grande desafio que havia aceitado e as grandes possibilidades de interpretação que a personagem lhe traria. Viver Piaf e suas canções seria um ato de coragem e assim foi descobrindo o grande presente que havia ganhado.

Em maio de 1983, Bibi Ferreira estreou Piaf – a vida de uma Estrela da Canção, no Teatro Ginástico Português (atual Teatro Sesc Ginático), com direção de Flávio Rangel e grande elenco. Com temporadas de absoluto sucesso no Rio e em São Paulo, onde teve mais de 700 mil espectadores, realizou duas grandes turnes nacionais, nas principais capitais do Pais, sendo recordista de publico nesses teatros até hoje.

Como reconhecimento do seu trabalho e pela a grande divulgação da cultura francesa no Brasil, o Governo Francês, em 1985, condecorou Bibi com a Comenda das Artes e das Letras da República Francesa, sendo entregue pela primeira dama Danielle Mitterand e pelo então Minsitro da Cultura da França, Jack Lang, em evento solene realizado no Brasil. Por ocasião do Ano do França no Brasil, em 2009, Bibi recebeu novamente a comenda, dessa vez com o titulo de Comandante, a mais importante comenda que uma pessoa fisica pode receber do Governo Frances.

Em 1988, a peça seguiu para Portugal, com Bibi no papel principal e elenco português, ficando 6 meses em cartaz, no Cassino do Estoril, sendo ate hoje um dos maiores sucessos de Portugal.

Em 1992, Bibi foi convidada pelo Consulado da França e pela Prefeitura do Rio de Janeiro para inaugurar a Praça Paris, no centro da cidade. Para o evento a atriz criou um novo formato para apresentar a vida e a música de Edith Piaf, o concerto Bibi Canta e Conta Piaf, onde manteve a interpretaçao do principal repertorio da cantora francesa, costurado por pequenos textos sobre a vida dela.

Em maio de 2000, o espetáculo foi apresentado em Paris, na França, no Teatro Dejazet. Na platéia muitos famosos, entre eles Michel Rivegauche, compositor de grandes sucessos de Piaf, é dele as duas primeiras canções do show, La foule e La Ville Inconnue, e Pierre Ribert, dono das Edições Metropolitanas, editor dos discos de Piaf que, pessoalmente, cuidava de separar as músicas com a própria Piaf, sugerindo canções, arranjos, produtores e músicos.
No final do espetáculo, Rivegauche abraçou Bibi e disse: “Bibi, você não imita Piaf, você é uma grande intérprete, assim como Piaf é. Sua interpretação das minhas músicas ficará para sempre no meu coração.” E completou: “Você não tem apenas um quarteto a acompanhando, você tem uma “petit orchestre” (em Paris foi apresentado com um quarteto). No dia seguinte ao show, Bibi e seu empresário e produtor Nilson Raman receberam um email de Pierre Ribert pedindo uma reunião, que aconteceu no dia seguinte. Ao começar, com uma pasta e uma fita nas mãos disse: “Bibi, há muitos anos guardo comigo esse material, na busca de uma intérprete a altura e à duas noites atrás encontrei a senhora, sua interpretação é rara, poucas vezes na minha vida vi uma artista com tanta força cênica. Senhora, nessas pastas e nessa fita, estão o último repertório separado por Piaf, este seria o último disco dela. Grave essas canções”.

Em maio 2003, Bibi gravou o CD e DVD Bibi Canta Piaf, ao vivo no Teatro Maison de France, no Rio de Janeiro, com orquestra e coral, pela gravadora Biscoito Fino. Ja distribuido para vários países, foi destacado como imperdivel pela FNAC francesa, sendo colocado em destaque nas vitrines das lojas.

Recentemente, o fotógrafo francês Hugue Vassal, amigo e que retratou os últimos anos de Piaf, declarou que ao ouvir Bibi Ferreira cantar, que era a única interprete capaz de reviver a emoção dramática de Piaf.

Em junho deste ano, para comemorar os 30 anos que Bibi canta e conta Piaf, Bibi estreou uma nova turnê pelo Brasil acompanhada por orquestra e coral, que começou com uma temporada de dois meses em São Paulo, no Teatro Frei Caneca. Com duas semanas de antecipação de ingressos esgotados, o show é mais uma vez sucesso absoluto de público e de crítica.

BIBI SINGS PIAF - U.S. debut

Wednesday, November 13, 2013
8:00pm
The Town Hall
123 West 43rd St
New York, NY 10036
212-997-1003
www.the-townhall-nyc.org


BIBI CANTA PIAF -- Repertório


1- LA FOULE
(Cabral/ M. Rivegauche) 1957
 
2- LA VILLE INCONNUE
(C. Dumont/ M. Vaucaire) 1960
 
3- MONSIEUR SAINT PIERRE
 (H. Contet/ J. Hess)
 
4- LA GOUALANTE DU PAVRE JEAN
 (M. Monnot/R. Rouzaud) 1954
 
5- HEUREUSE
 (M. Monnot/ R. Rouzaud)
 
6 - L’ACCORDÉONISTE
 (M. Emer) 1955
 
7 - HINO DA RESISTÊNCIA
 
8 - LA BELLE HISTOIRE D’AMOUR
(E.Piaf/ M. Monnot)

9 - HYMNE À L’AMOUR
 (E. Piaf/ M. Monnot) 1950
 
10 - PADAM, PADAM
(N. Glanzberg/ H. Contet) 1951
 
11 - MILORD
(M. Monnot/ G. Moustaki) 1959
 
12 - BRAVO POUR LE CLOWN
 (Louiguy/ H. Contet) 1953
 
13 - LA VIE EN ROSE
(Louiguy / E. Piaf) 1946
 
14 - A QUOI A ÇA SERT L’AMOUR
(M. Emer) 1962
 
15 - NON, JE NE REGRETTE RIEN
(C. Dumont / M. Vaucaire) 1961